Cordel da Criatividade

PorJoão Ademar de Andrade Lima

Cordel da Criatividade

Uma tentativa de inserir, “criativamente”, temas/autores/conceitos sobre Teoria da Criatividade

Escrito em maio de 2008 e utilizado em sala de aula

Uma coisa importante
Que interessa toda gente
P’ra qualquer atividade
Ficar mais eficiente
Seja ela profissão
Ou apenas diversão
Que trabalhe nossa mente

“Uma forma de loucura”
Assim’disse o tal Platão
P’ro seu colega, Sócrates
É “divina inspiração”
E tem outro que’afirmou
Carl Rogers, pensador
Ser “auto-realização”

A tal criatividade
Que nos faz ser diferente
É resposta às perguntas
Que vêem lá do inconsciente
Nas ideias mais primárias
E nas decisões diárias
Ela sempre ‘tá presente

Capacidade criadora
Inventividade, engenho
Que treina’in ‘teligência
E melhora o desempenho
Das tarefas mais cascudas
Que embolam nossas cucas
Tem que ser cába ferrenho

A cada problema novo
Dos que surgem toda hora
Ela é a peça chave
Que vem lá do quengo e aflora
Buscando’uma solução
O que’é ruim, fica bem bão
E se né bão, fica lá fora

O caminho criativo
Segue um rumo bem traçado
Num momento atrás do outro
Um por um, intercalado
Inspirando e preparando
Incubando e ’luminando
Depois, é verificado

É ideia original
A primeira, inspiração
Que surge com o problema
Como sendo a previsão
Como base, arquitetura
Alicerce, estrutura
P’ra chegar à solução

Já com o problema em vista
Passada a inspiração
Vem, então, segunda etapa
Chamam de preparação
É a fase informativa
Em que a mente fica ativa
Em completa imersão

Com todos dados juntos
Cada fat’ou informação
A cabeça se esfria
E entra na incubação
Deixando p’ro inconsciente
A decisão coerente
Que traz’a’i ’luminação

Aqui, na iluminação
O eureca é presente
E aparece, de sopapo
Com’um fogo que acende
A luz que traz a ideia
E, na cara, se revela
‘Cê até se surpreende

Com’a verificação,
Se observa o elaborado
E se vê se a proposta
Condiz como resultado
Vê se’a resposta é plena
Se’acabou valendo a pena
Todo o tempo dedicado

Olhando assim até qu’é fácil
Ser um cába criativo
De certo modo, é verdade
N’um carece nem de crivo
Mas n’um pode se afrouxar
Assim, tem que se treinar
P’ra manter o quengo ativo

É então que têm as técnicas
Que a mente desenvolve
Um mói regras e jogos
P’ra que a gente desenrole
Estímulo ao pensamento
Faz parte do treinamento
D’entre vários, ‘cê escolhe

Tem a “caixa morfológica”
A “tempestade cerebral”
“Caixa preta” e “biônica”
Cada uma mais legal
“Morfograma”, “analogia”
É só ‘cê vê com empatia
A cada caso, há’um ideal

No final, num tem mai’jeito
Dela ‘cê num têm escape
Seja lá qual fo’u moído
Tem que ter criatividade
Resposta solicitada?
Ela vai ser demandada
P’ra qualquer finalidade

Sobre o autor

João Ademar de Andrade Lima administrator

Professor de Direito de Propriedade Intelectual, Direito Digital, Ética e Direito Aplicado à Informática e Introdução ao Direito. Bacharel em Direito e Desenho Industrial. Licenciado em Computação e Pedagogia. Pós-Graduado em Direito da Tecnologia da Informação. Especialista e Mestre em Engenharia de Produção. Doutor em Educação.

5 Comentários

VALQUIRIA GONCALVES DA SILVAPublicado em12:29 pm - Mai 12, 2021

Muito bom, parabéns professor!!!

KarinaPublicado em12:45 pm - Mai 12, 2021

Professor João, fico muito tocada e feliz com a singularidade abordada e aproximação com o leitor, pelas situações e sugestões de insights que pode ser gerado pelo contexto da criatividade. E trazer em
Cordel aí cê Atrai mais ☺️☺️

“Prosa” da Criatividade – educo.work®Publicado em3:06 pm - Mai 13, 2021

[…] ou Proseando Cordel da Criatividade […]

Deixar uma resposta